Estresse e sobrecarga emocional atingem 70% da população do RS


Dado é de pesquisa divulgada pela Sociedade de Cardiologia do RS.
Percentual teve alta considerável ante os 52,4% levantados em 2010.

O cansaço, o estresse e a sobrecarga emocional atingem 70,9% da população do Rio Grande do Sul. Os dados são de uma pesquisa do Instituto Methodus, divulgada na tarde desta quinta-feira (19) pela Sociedade de Cardiologia do Rio Grande do Sul (Socergs). O percentual teve uma alta considerável em relação aos 52,4% levantados no estudo anterior, realizado em 2010. A faixa etária dos 25 aos 34 anos é a que se sente mais cansada, alcançando a porcentagem de 77,6%. O presidente da Socergs, Justo Leivas, explica que o aumento é decorrente do maior número de atividades que as pessoas desempenham atualmente. "Além de um trânsito mais caótico, há uma exigência cada vez maior no mercado de trabalho", disse Leivas ao G1. Médico cardiologista, Leivas alerta que o estresse pode levar o paciente à morte. Segundo ele, já foram diagnosticados no estado diversos casos de síndrome de takotsubo, doença causada pelo desgaste emocional que provoca uma deformidade no coração e pode levar à morte. "O takotsubo é uma palavra japonesa, significa uma armadilha para caçar polvos. O indivíduo tem uma perda na família ou algum outro desgaste, sofre uma disfunção e o coração fica com a imagem deste takotsubo e faz uma espécie de infarto pela descarga muito grande de adrenalina. Temos muitas descrições de casos como este", explicou o médico. Para evitar estas e outras doenças cardíacas, o médico indica que as pessoas procurem reservar parte do tempo para momentos de lazer. "Se achava que isso era um romantismo, uma futilidade, mas hoje os números apontam que não. Cientificamente está comprovado que devemos abrir espaço na agenda diária para atividades de relaxamento, onde possamos valorizar nossos amigos e colegas do ponto de vista de lazer. Infelizmente se continuarmos nessa linha, os números mostram que vamos começar a morrer mais cedo", alerta o médico. Má alimentação de gaúchos causa excesso de peso A pesquisa aponta que 57,5% dos moradores do Rio Grande do Sul estão acima do peso, ou seja, com o índice de massa corporal acima de 25. Em relação à alimentação, 67% dos entrevistados ingerem alimentos fritos uma ou mais vezes por semana, e 67,7% comem churrasco uma ou mais vezes a cada semana. O dado positivo é que mais de 40% dos entrevistados praticam exercícios físicos e 40% afirmaram ter uma alimentação saudável. No entanto, apenas 40% controlam o volume de sal que colocam nos alimentos. Leivas destaca que a população gaúcha em geral tem uma alimentação longe da ideal. "Sem dúvida é uma alimentação mais rica em carboidratos e gorduras, muitas vezes gorduras não saudáveis, como o nosso churrasco, cheio de gordura animal. Temos uma população de descendentes de italianos e gostamos muito de massa. E certamente estamos fazendo menos exercício do que deveríamos", comenta o cardiologista. Para melhorar os hábitos, as entidades da área atuam diretamente em escolas. Leivas destaca as vantagens de se atuar junto ao público infantil. "As crianças conseguem mudar os hábitos com mais facilidade que os adultos", diz. Além disso, elas podem ajudar os próprios pais a comerem melhor. "Talvez a criança funcione mais levando a informação e cobrando no seio familiar o erro no excesso de alimentação", afirma o especialista.

 

 

 

 



Fonte: http://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/noticia/2013/09/estresse-e-sobrecarga-emocional-atingem-70-da-populacao-do-rs.html
carregando...