Gazeta tem índice de leitura de 99%


João Antônio Rodrigues Junqueira cumpre religiosamente o ritual: entre sete e nove horas da manhã, ao chegar à empresa da família, no Bairro Margarida/Aurora, a primeira coisa que faz é encher uma xícara de café e sentar para ler a edição do dia da Gazeta do Sul. Leitor assíduo, o jovem de 23 anos considera essenciais as duas horas diárias que dedica ao jornal.

E ele não é o único: conforme pesquisa realizada pelo Instituto Methodus, a pedido da Associação dos Diários do Interior (ADI/RS), o índice de leitura da Gazeta em Santa Cruz chega a 99,3%. O Methodus ouviu 350 pessoas com idades acima de 16 anos, de ambos os sexos e diferentes classes sociais, entre os dias 2 e 3 de abril. De todos os entrevistados, 287 afirmaram ser leitores de jornal e, dentre esses, 275 responderam ler, ao menos eventualmente, a Gazeta. O resultado foi o mesmo de abril do ano passado, mas supera o de um levantamento semelhante feito em outubro de 2010. O índice, à época, foi de 97,3%. Isso faz com que o jornal eleve sua vantagem na preferência dos leitores em relação aos demais. Os entrevistados também foram convidados a fazer uma avaliação qualitativa do conteúdo oferecido pelo jornal, atribuindo uma nota de 1 a 7, sendo 1 equivalente a péssimo e 7 a ótimo. O percentual de leitores que considera ótimo o jornal chegou a 18,6% e o que considera bom, 73,3%, o que configura um índice de aprovação de 91,9%, enquanto o percentual de pessoas que o considera ruim ou péssimo ficou em apenas 0,4%. A nota média atribuída ao jornal foi 8,4. Em relação às pesquisas anteriores, a avaliação melhorou: em outubro de 2010, foi de 7,7, e em abril de 2011 foi de 7,62. Para os leitores, o jornal se destaca principalmente pelo visual agradável, atualidade das matérias e boa cobertura dos acontecimentos dos municípios do Vale do Rio Pardo e região Centro-Serra. Os atributos foram reconhecidos por cerca de 95% dos leitores ouvidos. Nesses quesitos, também houve avanços em relação à pesquisa anterior. O percentual de pessoas que disse identificar atualidade nas matérias da Gazeta, por exemplo, saltou de 89,9% para 95,4%. Quanto à cobertura da região, o índice saltou de 86,6% para 93%. Já sobre o visual, o avanço foi de 93% para 94,4%. Nesse intervalo de tempo, houve o lançamento do atual projeto gráfico, em agosto do ano passado, com foco na interatividade e facilidade de leitura. Na esteira das mudanças visuais, houve também ajustes editoriais, com a adoção de um padrão de texto mais sintético, analítico e interpretativo. Os aspectos também foram os que receberam as melhores avaliações por parte dos leitores: 94,3% consideram ótimo o visual e a atualidade das matérias, enquanto 92,9% consideram ótima a cobertura. Os demais atributos também foram bem avaliados. O percentual de pessoas que disse considerar a Gazeta um veículo confiável ficou em 92,2%. Quanto à parceria com a comunidade, 91,5% dos leitores disseram considerar ótimo o jornal. Já 90,1% dos entrevistados aprova a variedade das matérias. A maioria dos leitores (em torno de 85%) também considera que as informações são transmitidas de forma clara e aprova a variedade de colunistas – o último item, inclusive, foi o que teve o maior avanço em relação à pesquisa anterior: de 73,6% para 84,8%. As colunas também passaram a uma posição de maior destaque com a inauguração do novo projeto. Jornalismo com foco na região agrada a leitores Estudante de Jornalismo, Junqueira foi atraído para o hábito ainda criança pelas seções de piadas, charges e tirinhas. Hoje, parte diretamente para as páginas de esporte, nas quais se detém tanto sobre os campeonatos profissionais quanto sobre os amadores. Também guarda especial interesse pelas notas policiais e acredita ter herdado de seu pai o gosto pela informação. Para ele, porém, o melhor da Gazeta é, independente do assunto, a cobertura dos acontecimentos da região. “Me sinto próximo do ocorrido, inclusive porque em boa parte das vezes conheço as pessoas envolvidas e até as que escrevem”, diz. No caso do Silvio Morsch, de 47 anos, proprietário de uma revenda de veículos, o vínculo com a Gazeta também remonta à infância. Natural da localidade de Alto Trombudo, no interior de Vale do Sol, recorda-se de, a partir dos oito anos, ir buscar pessoalmente a edição do dia, que chegava de ônibus no fim da tarde a um centro comercial que ficava a um quilômetro de casa. “Era sagrado. De tardezinha, eu cuidava dos animais da nossa propriedade e depois ia a pé buscar a Gazeta”, conta. Seu pai Armindo é assinante há mais de cinco décadas. Atualmente, o jornal chega cedo da manhã em sua loja. O apego é tão forte que costuma sair de casa com meia hora de antecedência para ler a edição antes de dar início aos trabalhos. Nos finais de semana e feriados, quando não há expediente, vai até o local só para buscar o jornal e levar para casa. “Gosto principalmente porque o jornal transmite confiança e seriedade. Leio de tudo, mas tenho mais interesse por notícias de economia, esporte, classificados e, nos últimos tempos, pela coluna Memória (do jornalista José Augusto Borowski, publicada às segundas-feiras).”


Fonte: http://www.gaz.com.br/gazetadosul/noticia/344864-gazeta_tem_indice_de_leitura_de_99.html
carregando...